Voltar

Dior/Lindbergh

— Autores Peter Lindbergh, Martin Harrison — Editora Edições Taschen — Apresentação Ele fotografou nossas mais belas musas - de Marion Cotillard à Charlize Theron - assinando, com seu estilo único, nossas campanhas para Lady Dior e J’adore. Peter Lindbergh, falecido em setembro de 2019, foi um dos mais próximos colaboradores da Maison.
Essa obra é o último de seus projetos realizados com a Dior, uma criação colaborativa inédita tão prezada por esse imenso artista quanto por nós.
Setenta anos de história da Dior projetados na selva da Times Square. Bem longe do número 30 da Avenue Montaigne, onde bate o coração da Maison. Tal foi o sonho extravagante e extraordinário que deu origem a este compêndio de duas partes, com o duplo título Dior/Lindbergh.
O fotógrafo alemão Peter Lindbergh queria realizar esse projeto, que a Dior tornou possível ao enviar para o outro lado do Atlântico um conjunto excepcional de tesouros: mais de 80 modelos dos arquivos. Imagem forte desta extraordinária sessão de fotos: Alek Wek rodopiando em um tailleur Bar 1947, nova mulher-flor iluminando com sua graça as ruas de Nova York.
Modelos com uma beleza no estilo “Lindbergh” – Karen Elson, Saskia de Brauw, Carolyn Murphy, Amber Valletta, Sasha Pivovarova – percorreram as avenidas efervescentes, cortando a multidão de espectadores vestidas com looks icônicos. “Wake up, now you go in the hell of today and let’s see what happens*”, desafiou-as o fotógrafo, com seu humor característico.
O resultado está à altura da ambição desse exercício de estilo: um esplendor magnético em preto e branco com textura, um jogo de contrastes habilmente orquestrado para revelar a arquitetura virtuosa e os materiais preciosos dos modelos. Esses instantes decisivos entrelaçando alta-costura e frenesi urbano homenageiam o movimento da fotografia de rua, para a qual Nova York serviu muitas vezes de cenário. “Passei dois dias em Nova York em um deslumbramento contínuo. O ar eletrizante que respiramos na cidade está sempre em ação”, escreveu Christian Dior em suas memórias sobre seu primeiro encontro, em 1947, com a cidade que não dorme jamais. A Nova York de hoje confere uma energia atemporal às criações da Maison, do estilista-fundador à Maria Grazia Chiuri.
Essa obra é apresentada em uma caixa preciosa, em duas partes: um livro dedicado aos arquivos da Dior e um outro aos arquivos de Peter Lindbergh. O primeiro apresenta setenta anos de história e de criações da Maison “capturados” pelo fotógrafo durante este extraordinário ensaio, em outubro de 2018, em Nova York. O segundo reúne mais de cem imagens celebrando a elegância Dior – alta-costura e prêt-à-porter, feminino e masculino –, fotos de Peter Lindbergh publicadas ao longo dos últimos trinta anos nas mais prestigiadas revistas: Vogue norte-americana, Vogue Paris, Vogue Itália, Harper’s Bazaar ou Vanity Fair.

*“Acordem! Saiam para esse mundo infernal de hoje e vamos ver o que acontece.”
Dior/Lindbergh, por Peter Lindbergh. Caixa com dois volumes, Nova York e Arquivos, edições Taschen.

Conheça as primeiras páginas