DIORMAG

22 Agosto
novidades

A bolsa Dior Homme Motion

Neste verão, novas bolsas Dior Homme enriquecem as coleções masculinas da Maison criadas pelo Diretor Artístico Kris Van Assche. Combinando elegância e modernidade, elas exibem um design leve, compacto e funcional que as transforma em peças essenciais ao estilo contemporâneo.

Revestida em nylon e em couro de bezerro preto, a mochila Motion exibe a cicatriz emblemática do vestuário masculino. Ornamentada com uma abelha, verdadeiro código da Maison, e com a assinatura Dior com acabamentos em paládio, ela aparece em uma versão em tecido de nylon vermelho para um estilo altamente moderno. Ao mesmo tempo elegante e prática, dispõe de múltiplos bolsos e de um interior espaçoso que se adapta aos diferentes usos cotidianos. Carregada na mão ou nos ombros, ela permite transportar facilmente um laptop, documentos ou um nécessaire esportiva durante o dia todo, fechando-se graças a um cordão com motivo tricolor.

22 Agosto
novidades

Perspectivas

Descubra a coleção Outono 2017 da Dior Homme, fotografada por Johan Sandberg em uma série exclusiva para a Dior Magazine. Alternando planos fechados, planos abertos e retratos, esta série de fotos em preto e branco desvenda os looks elaborados por Kris Van Assche.

  • ©

    Johan Sandberg

  • ©

    Johan Sandberg

  • ©

    Johan Sandberg

  • ©

    Johan Sandberg

  • ©

    Johan Sandberg

  • ©

    Johan Sandberg

  • ©

    Johan Sandberg

  • ©

    Johan Sandberg

  • ©

    Johan Sandberg

  • ©

    Johan Sandberg

21 Agosto
Savoir-Faire

O savoir-faire da bolsa Dioraddict em tecido Oblique: o vídeo

21 Agosto
Savoir-Faire

O savoir-faire da bolsa Dioraddict em tecido Oblique

A nova Dioraddict revisita uma peça icônica, a bolsa com aba, trazendo-lhe toda a modernidade das coleções da Maison realizadas por Maria Grazia Chiuri, para torná-la verdadeiramente atemporal. Seu tecido é diretamente oriundo dos arquivos da Maison, pois foi criado por Marc Bohan em 1967, e retomado este ano pela Diretora Artística. 

Assim como no caso da bolsa cabas Dior Oblique, a confecção dessa peça começa na região de Flandres, no ateliê de tecelagem familiar no qual o tecido com motivo gráfico é fabricado há cinquenta anos. Depois, ela segue em direção aos ateliês de marroquinaria da Maison, situados no interior da região de Florença. Ali, os artesãos cortam o tecido com a ajuda de moldes e selecionam o couro bovino azul dos vinte e três elementos que compõem a bolsa. Em seguida, o artesão coloca o fecho e aplica três mãos de pintura preta e uma camada de verniz fixador em todas as partes da bolsa. Após uma etapa de secagem de mais de vinte e quatro horas, a menção “Christian Dior Paris, made in Italy” é gravada em relevo na fita dourada e colocada logo abaixo do bolso interno. Neste momento da confecção, o artesão pode finalmente juntar as partes da bolsa entre si, realizando um ponto de costura chamado "marcapunto". Reconhecido por sua estética gráfica, este ponto é tomado de empréstimo do universo da fabricação de malas.
Última etapa: a montagem da corrente em metal dourado removível e da chave, sutilmente encoberta no seu compartimento de couro.

21 Agosto
Savoir-Faire

O savoir-faire da bolsa cabas Dior Oblique: o vídeo

Mais artigos