45/70 momentos de cinema | DIORMAG

09 Abril
Património

47/70 momentos de cinema 

Criação especial elaborada por Marc Bohan para a atriz Sophia Loren.

09 Abril
Património

46/70 momentos de cinema 

No filme Arabesque de Stanley Donen, Marc Bohan assinou para Christian Dior as criações especiais usadas por Sophia Loren, enquanto Roger Vivier criou seus sapatos, também com a assinatura Christian Dior.

©

Universal Pictures - Stanley Donen Films/DR/T.C.D

09 Abril
Património

45/70 momentos de cinema 

No filme A Condessa de Hong Kong de Charlie Chaplin, as criações especiais usadas por Sophia Loren foram assinadas por Marc Bohan para Christian Dior.

©

Chaplin Films Productions - Universal/DR/T.C.D

09 Abril
Património

44/70 momentos de cinema

No filme A Condessa de Hong Kong de Charlie Chaplin, Sophia Loren usou uma criação especial de Marc Bohan para Christian Dior.

©

John Springer Collection/Corbis/Corbis via Getty Images

09 Abril
Património

43/70 momentos de cinema

Sophia Loren e Marc Bohan durante uma prova de roupa na Dior, no dia 12 de fevereiro de 1963.

09 Abril
eventos

Dior e Granville, nas origens do mito

Ontem, na casa onde Christian Dior passou a sua infância, na Normandia, a exposição Dior et Granville, aux sources de la legende abriu as suas portas. Apresentada por ocasião dos 20 anos do museu e dos 70 anos da Maison Dior, ela homenageia a infância do estilista, um período que inspirou toda a sua obra e que sempre influenciou as criações de seus sucessores.

Foi em Granville, no início do século XX, que Christian Dior passou os primeiros anos da sua vida, rodeado pela decoração da propriedade de Les Rhumbs, típica do começo do século. Desta construção com as paredes chapiscadas em tom rosa claro e cascalhos cinza, erguida na encosta de uma falésia e cercada por um jardim de estilo inglês, ele guardou “as lembranças mais ternas e maravilhosas”, conforme escreveu em suas memórias, antes de afirmar: “O que eu digo? Minha vida e meu estilo devem quase tudo à sua localização e arquitetura.” Com a curadoria da historiadora de moda Florence Müller, a exposição Dior et Granville, aux sources de la légende abre um diálogo entre a casa da infância de Christian Dior e os modelos de sua Maison de Couture, ao longo de um percurso histórico e estilístico. Disposta por três andares, a exposição evoca o espírito da época em que Christian Dior vivia em Granville e conta com o apoio de documentos dos arquivos. Assim, os diferentes cômodos do piso térreo lembram certos aspectos que determinaram a sua personalidade. Sua fibra artística tem raízes no exotismo nipônico da entrada principal e na decoração rococó do grande salão, enquanto a sala de jantar revela seu apetite típico de um normando: gourmand e gourmet. Seu temperamento empreendedor é revelado no escritório de seu pai, e é na mistura de odores e de cores do jardim que se evidencia o seu lado sonhador. O primeiro andar é ocupado pelos quartos, e cada um deles evoca um membro da família em um ambiente com fotografias, retratos e outros objetos pessoais, como alguns vestidos de Alta Costura. As criações de Christian Dior dialogam com objetos que o influenciaram, como as roupas elegantes de sua mãe Madeleine ou as fantasias de carnaval. O último andar finaliza a narrativa da gênese do mito Dior, mostrando como o imaginário do estilista, revisitado por seus sucessores, continua sendo uma referência absoluta no presente.

08 Abril
novidades

As fotos de Nan Goldin

Para o projeto #TheWomenBehindTheLens, Nan Goldin capturou a coleção de prêt-à-porter Primavera-Verão 2017 sob luzes indiretas. Através de suas fotos, a fotógrafa mostra sua visão das primeiras criações de Maria Grazia Chiuri para a Maison Dior, capturando as silhuetas femininas em sua intimidade.

  • ©

    Nan Goldin

  • ©

    Nan Goldin

  • ©

    Nan Goldin

  • ©

    Nan Goldin

  • ©

    Nan Goldin

  • ©

    Nan Goldin

  • ©

    Nan Goldin

  • ©

    Nan Goldin

Mais artigos