Desfile Homme Inverno 2020-2021

Looks

01 / 47

Passado, presente, alta-costura. Para a coleção masculina Inverno 2020-2021, Kim Jones inspira-se nos arquivos e na iconografia da Dior, para celebrar sua elegância atemporal. Uma viagem ao coração da alta-costura e uma homenagem a Judy Blame, figura emblemática, símbolo da criação conjugada no futuro.

CENOGRAFIA

  • No coração da icônica Place de la Concorde, o Desfile Homme Inverno 2020-2021 homenageou Judy Blame, artista iconoclasta de uma modernidade visionária. Uma viagem vertiginosa para além das possibilidades. Um herança esplêndida conjugada no futuro.

    En savoir plus

AS CELEBRIDADES

  • Foco nos convidados que assistiram ao desfile masculino Inverno 2020-2021 de Kim Jones.

INSPIRAÇÕES

  • Homenagem ao artista Judy Blame, a coleção masculina Inverno 2020-2021 celebra suas inspirações iconoclastas e o patrimônio de Alta Costura de Christian Dior, por meio de peças de alfaiataria apreciadas por Kim Jones.

    Saiba mais

Hommage à Judy Blame

  • Judy Blame era um alquimista. Iconoclasta – falecido em fevereiro de 2018 –, ele se reapropriava dos objetos mais elementares para elaborar joias que transcendiam suas origens modestas, alcançando o status de objeto de arte. Hoje, Kim Jones, Diretor Artístico das coleções masculinas da Dior, fiel amigo desse subversivo pioneiro, homenageia seu universo fascinante e sem fronteiras, em sua coleção Inverno 2020-2021.

    Saiba mais

ACESSÓRIOS ESSENCIAIS

  • Ode à arte do detalhe segundo Dior, os acessórios da coleção Inverno 2020-2021 de Kim Jones fazem dialogar o imaginário do estilista Judy Blame, figura icônica, inspiração deste desfile, com os códigos da Maison, como o motivo Dior Oblique revisitado ou as pérolas brancas.

    Saiba mais

O SAVOIR-FAIRE

  • Na penumbra, um lampejo de graça. Look final desta coleção, um casaco preto em caxemira inteiramente bordado de paetês é apresentado, inspirado em um vestido de Alta Costura criado por Marc Bohan para a coleção Outono-Inverno 1969. A peça foi elaborada nos ateliês secretos de Vermont, a partir de um trabalho artesanal excepcional que alia paciência, precisão e infinita minuciosidade. Durante 900 horas, as pequenas mãos habilidosas confeccionaram essa majestosa criação, composta por três tipos de paetês e fio de prata refletindo a luz. Esse esplendor, maravilhoso e virtuoso, celebra a riqueza da Alta Costura e seu savoir-faire de excelência.

    Crédito da foto - Sophie Carre